Artigos e Crônicas

SANEAMENTO MORAL

 

 

O que é moral? 

Parece ter a ver com o relacionamento da pessoa consigo, seus sentimentos, o conceito pessoal.

A ética, mais com a convivência, a forma de nos colocar defronte do mundo, dos semelhantes. Moral e ética são indissociáveis: sem uma, não há a outra. 

A boa ética leva à harmônica convivência entre as pessoas, que não existe sem uma moral de exceção. Em outras palavras, tudo começa no indivíduo: um mundo melhor com homens aperfeiçoados, mais conscientes, os quais experimentem em si o amor impregnado em tudo quanto existe, especialmente em seus corações. 

Quando Nietzsche afirmou que Deus estava morto, provavelmente tenha se referido ao deus cristão, à moral secular de grande parte da humanidade. Qual seria o futuro da moral sem Deus? O pensador se define como um imoralista. 

Seria necessário, dali em diante, construir uma nova moral, mais humana e acessível. 

O cristianismo e sua moral supõem, como no comunismo, estar todos os homens nivelados, com o mesmo valor, o que o filósofo rebatia, porque cada ser humano construía o seu pelo próprio esforço: um Shakespeare ou Beethoven não poderiam ser nivelados a quem se conformou com uma moral imposta, e nunca se esforçou por pensar e sentir com liberdade. 

O Sobre-Homem da Zaratrusta seria um ser superado, construtor da sua moral. 

Para o pensador González Pecotche, não há evolução sem ética, pressupondo boa convivência, sentimentos, inteligência. Mas não basta querer, senão saber. Conhecer o que dificulta o bom relacionamento e procurar mudar a conduta, os pensamentos opostos àquela arte: impaciência, brusquidão, indiscrição, irritabilidade e intolerância devem ser transformadas nas virtudes necessárias como a paciência, a contenção, a discrição, a temperança e a tolerância. 

A grande oportunidade da vida é a convivência. E nela, outras duas: não molestar os outros e nem se deixar molestar. Não é fácil, nem impossível. É necessário querer e aprender com quem possa ensinar. 

O outro e a realidade são mestres insubstituíveis. Devemos ser a mudança que queremos ver no mundo, disse certa vez um célebre hindu. O semelhante deveria ser um espelho, nossa imagem refletida, mostrando-nos como não deveríamos nos comportar, ou dando um exemplo a seguir; ele é muito importante; mesmo o inimigo, a provar a têmpera de nosso espírito. Quem não quer ter inimigos, melhor seria não ter nascido, escreveu o pensador. 

Inteligência pressupõe boa convivência. 

A ética se fundamenta na moral construída a partir do cultivo de bons sentimentos: gratidão, amizade, generosidade. Ser grato por existir, generoso ao ensinar o aprendido, e amigo. Como bem escreveu Emerson, a melhor forma de ter amigos é ser amigo. 

A ciência do aperfeiçoamento consiste na prática constante de princípios superiores, a preservar a espécie através do cultivo de pensamentos e sentimentos, os quais elevem o homem a níveis superiores de consciência. Neste sentido, a convivência é um campo experimental de inestimável valor. 

Quem não convive não vive.

Escrito por:  Nagib Anderáos Neto
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Fale Comigo

nome:

Newsletter

Receba Nossas novidades


Cadastrar

Siga-me