Artigos e Crônicas

A HERANÇA DE SI MESMO

 

O garoto deveria ter uns onze anos e a professora pedira a redação sobre

a desigualdade.

 

Depois de muitos anos, encontrei o papel já amarelecido pelo tempo entre

os meus guardados, e, ao reler, não pude deixar de experimentar a mesma

emoção sentida há tanto tempo, quando o meu filho veio mostrar-me a nota

que havia ganho na aula de português.

 

“Será que existe desigualdade? Eu acho que sim. Mas eu acho que quem

nasce desigual do outro não tem culpa de ter nascido de tal forma. Mas

também acho que não deva ser injustiça de Deus. Meu ponto de vista sobre

isto é que cada ser humano tem uma herança. Uma herança de si mesmo. Vou

dar um exemplo para isto ficar mais claro: há pessoas que nascem com

facilidade para pintar, outros para tocar piano, e outros, para

esculpir, e assim vai. Pois eu não acho que seja por acaso que estas

pessoas têm tal inclinação. Mas a herança que eu digo, não é ser

parecido com o pai, os avós. Também existe a herança física, mas eu

estou falando daquilo que cada um traz consigo. Eu acho que isto conta

muito, porque uns têm heranças melhores e outros piores. Eu acho,

também, para terminar, que alguém um dia possa herdar um pouco da

minha herança”.

 

No rodapé da folha do caderno, a professora anotou em vermelho o

aforismo que deve ter surgido em sua mente após a leitura da redação:

cada ser humano tem uma herança de si mesmo.

 

E emendou: Alexandre, você é um filósofo. Enquadre e pendure na sala.

Escrito por:  Nagib Anderáos Neto
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Fale Comigo

nome:

Newsletter

Receba Nossas novidades


Cadastrar

Siga-me

 

Artigos e Crônicas