Artigos e Crônicas

Príncipe Poeta

 

Recebi o poema pelo correio eletrônico com a seguinte mensagem:

“Este poema foi escrito por um aluno da APAE, chamado pela sociedade de

excepcional. Excepcional é a sua sensibilidade! Ele tem 28 anos, com idade

mental atribuída de 15; peço que divulguem para prestigiá-lo”.

Eu li e reli o poema desenhado pela sensibilidade excepcional do jovem que

se diz um tolo por ainda acreditar no amor, este sentimento excepcional que

anda tão afastado de nós, e fiquei com vontade de conhecer o Alexandre

Lemos, o PRÍNCIPE POETA da APAE.

Ilusões do Amanhã

Por que eu vivo procurando Um motivo de viver, Se a vida às vezes parece de

mim se esquecer?

Procuro em todas, mas todas não são você.

Eu quero apenas viver

Se não for para mim que seja pra você.

Mas às vezes você parece me ignorar

Sem nem ao menos me olhar

Me machucando pra valer.

Atrás dos meus sonhos eu vou correr

Eu vou me achar, pra mais tarde em você me perder.

Se a vida dá presente pra cada um

O meu, cadê?

Será que este mundo tem jeito?

Este mundo cheio de preconceito.

Quando estou só, preso na minha solidão, Juntando pedaços de mim que caíram

no chão, Juro que às vezes nem ao menos sei quem sou.

Talvez eu seja um tolo,

Que acredita num sonho

Na procura de te esquecer

Eu fiz brotar a flor

Para carregar junto ao peito

E crer que este mundo ainda tem jeito

E como príncipe sonhador

Sou um tolo que acredita ainda no amor.

Príncipe Poeta ( Alexandre Lemos-APAE)

Escrito por:  Nagib Anderáos Neto
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Fale Comigo

nome:

Newsletter

Receba Nossas novidades


Cadastrar

Siga-me

 

Artigos e Crônicas