Artigos e Crônicas

Castelos

 

Construo castelos de

Palavras.

 

O mar da realidade,

Vez e outra,

Os destrói.

 

Prossigo falando,

Lendo, escrevendo,

Pra entender a mim

E o mundo.

 

Melhor seria desenhar,

Esculpir, musicar,

Mas a mim me  foi dado o dom

De versejar .

 

Prossigo na labuta que me

Impus:

Falar, recitar, Interpretar.

 

A palavra é o pensamento manifesto:

É vida, poesia, alegria.

Começa a viver naquele dia,

Quando dita na poesia,

Como Emily Dickinson apontou com

Precisão.

 

A palavra é síntese de vida,

Emoção, comunicação.

 

Se a minha te alcança,

Sou grato

Pelo encontro,

A comunhão.

 

Não me lembra mais quantas noites e dias ganhei a versejar, a ler, a

estudar e me procurar.

 

Na palavra, no verso, na escritura,

Me encontrei.

Ali desenhei o futuro,

Que agora leio como história.

 

Nesta mística relação,

Sem muro, futuro ou ilusão ,

Te espero onde sempre estive:

À beira de tudo,

Em tua imaginação.

Escrito por:  Nagib Anderáos Neto
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Fale Comigo

nome:

Newsletter

Receba Nossas novidades


Cadastrar

Siga-me

 

Artigos e Crônicas