Poemas

Drummond

 

Procurei Drummond na prateleira

E não o encontrei. Morreu ontem?

Anteontem?

Os jornais dizem que foi

Sem cruzes e nem igrejas. Acho que o deixei

Em Campinas, com Baudelaire,

Na estante que não tenho. 

Procurei Drummond na memória

E o encontrei na aula de português;

Num José que levou consigo o seu segredo

(Degredo voluntário e inesperado)

E passou a habitar o Olimpo

Das prateleiras misteriosas e sedentas

De verdade.

Encontrei uma poesia no caminho.

Era um caminho, era um caminho

A poesia que eu encontrei.

No caminho havia uma poesia.

Quem parou para olhar

Admirou a poesia que eu encontrei.

Escrito por:  Nagib Anderáos Neto
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Fale Comigo

nome:

Newsletter

Receba Nossas novidades


Cadastrar

Siga-me

 

Artigos e Crônicas