Poemas

Júlia

 

Minhas mãos,

Como as tuas,

Te procuram 

 Na Recordação.

 

Teu olhar,

O mesmo meu,

Nossa cor

Moura,

Do alto Portugal.

 

Nos transportamos para este

Mundo difícil,

Mas a lembrança da aldeia

Nos sustentou.

 

Tu me deixaste,

Faz muito tempo.

Mas te lembro sempre, vovó.

 

Ao me olhar no espelho

E para minhas 

Mãos,

Te vejo.

Escrito por:  Nagib Anderáos Neto
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Fale Comigo

nome:

Newsletter

Receba Nossas novidades


Cadastrar

Siga-me

 

Artigos e Crônicas