Poemas

Foi-se a infância.

 

 

Sua mão deixou a minha,

Entristeci.

 

Fiquei aqui a recordar-te,

A procurar o teu sorriso 

Amigo,

Tua pureza,

A alegria do faz- de-conta.

 

Foi-se o tempo dos sonhos,

Das descobertas,

Da esperança e da fascinação.

Mas guardo em mim o coração

De menino, filho e irmão,

Guardo a emoção de ter sido

E levo a criança em mim,

Pra me proteger,

Segurar,

Animar.

 

Crianças sempre,

Sobreviveremos.

Nagib Anderáos Neto

Escrito por:  Nagib Anderáos Neto
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Fale Comigo

nome:

Newsletter

Receba Nossas novidades


Cadastrar

Siga-me

 

Artigos e Crônicas